Uso do QGIS na Obtenção de Dados Altimétricos

QGIS na Obtenção de Dados Altimétricos

Dados sobre altimetria são amplamente empregados em diversos nichos de aplicação das Geotecnologias. Uma fonte de informações deste tipo são chamadas imagens SRTM (Shuttle Radar Topography Mission). Um recente artigo abordou o uso do software livre QGIS para aquisição de dados altimétricos a partir destes dados matriciais que estão disponíveis gratuitamente. Confira mais detalhes abaixo e faça o download da publicação.

IMAGENS SRTM E ALTIMETRIA

Antes de abordamos o artigo foco desta matéria, queremos relembrar algumas postagens anteriores que podem ser úteis como referencial teórico e prático em seus estudos sobre este tema.

 ClickGeo :: Cursos de Geotecnologias :: Treinamentos em GeoprocessamentoAgora, veremos detalhes sobre o artigo, que foi publicado no V SIMGEO, realizado em Recife/PE, de 12-14 de novembro de 2014.

DADOS ALTIMÉTRICOS E A UTILIZAÇÃO DE SRTM

O título da publicação é: A Utilização de Imagens SRTM na Obtenção de Dados Altimétricos para a Mesorregião do Agreste paraibano, através do Software Livre QGIS. Nele é comentado como a crescente evolução das geotecnologias tem sido de suma importância em pesquisas aplicadas em diversas áreas, inclusive em estudos sobre relevo.

Os autores do artigo são Bianca Almeida de Farias, Tatiana Domingos de Oliveira, Gilvaneide Silva de Oliveira, que são discentes do curso superior de Tecnologia em Geoprocessamento do IFPB e o professor Diego da Silva Valdevino.

A Utilização de Imagens SRTM na Obtenção de Dados Altimétricos para a Mesorregião do Agreste paraibano, através do Software Livre QGIS

Conforme explícito em seu resumo, o trabalho pretende mostrar, por meio de técnicas de Geoprocessamento, e com o auxílio do software livre QGIS, como obter informações altimétricas, a partir dos dados numéricos do relevo e da topografia do Brasil, adquiridos pela missão espacial SRTM, que é um modelo digital de elevação das terras continentais.

Com o objetivo de demonstrar a relevância do uso destes dados, juntamente com as ferramentas de SIG, como instrumentos essenciais e facilitadores na obtenção de curvas de nível, utilizando como área de estudo a mesorregião do Agreste Paraibano, que sucede o Litoral na direção oeste.

DOWNLOAD DE ARTIGO SOBRE USO DO QGIS

Para maiores informações sobre a metodologia empregada, leia o artigo na íntegra, que está disponível para download a partir do link abaixo:

Em caso de alguma dúvida ou questionamento, entre em contato com os autores através dos endereços de e-mail mencionados na primeira parte do trabalho.

Temos em nosso portal vários outros tutoriais e dicas de leitura relacionadas ao uso do QGIS. Veja alguns exemplos:

Assine nosso FeedAssine nosso Feed e receba nossas atualizações por e-mail. Curta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

 

4 Comments on “Uso do QGIS na Obtenção de Dados Altimétricos”

  1. Ericson Marx disse:

    No programa spring consigo fazer um adensamento de pontos na altimetria SRTM gerando uma nova grade retangular com resolução de 10 x 10 m p.ex.
    È possivel fazer isto no QGIS.

  2. Boa tarde
    Sou de Alegrete RS.estou trabalhando com irrigaçao e drenagem em culturas como arroz e soja. e temos muitas dificuldades em drenagem. pois irrigar por inundaçao faz parte do nosso dia à dia e temos uma imensa oportunidade de diverssificar a produçao com soja.
    Mas para isto temos que dominar drenagem.
    Trabalhamos com Rtk para gerarmos mdts e projetar linhas (curvas polilinhas) e nos orientarmos por piloto automaticos nos tratores e executar estes projetos.
    Preciso de um software que seja simples e focado para estes fins além de uma mdt mais barata.noque pode me ajudar.

  3. ola Eu sou fresco nesse programa, mas assim eu quero transferi do gps do meu trator num pendrive os arquivos em planilha excel para o Qgis para fazer curvas de nivel numa lavoura de arroz aqui no sul como se faz isso no Qgis 2.8

  4. RODRIGO SANTOS disse:

    No conclusão deste artigo é citado um mapa de declividade porém, ele não é encontrado no texto e não há anexos. Além disso, os dados SRTM utilizados são os da Embrapa. As curvas de nível geradas a partir dessas imagens apresentam descolamento horizontal de quase 60 m em relação a SRTM v4.1. E este deslocamento não tem relação com diferença de DATUM. De qualquer sorte, bom material.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *