Software Livre versus Pirataria de Software – Parte 1

Vamos considerar um tema que com toda certeza irá interessar aos bons e sérios profissionais que acessam a este blog: O uso legal e ilegal de softwaresComo este é um assunto que pode render um bom debate vou organizar a postagem em uma série de duas partes.

Nesta primeira vou citar iniciativas contra a pirataria e a favor do uso dos softwares livres (SL), bem como os perigos camuflados pela pirataria de software e vantagens do uso de softwares livres em todas as áreas, inclusive o Geoprocessamento.

Não seja Pirata! Seja Livre!

Desde que criei o Portal ClickGeo, em janeiro de 2008, minha intenção é contribuir para divulgação do uso de tecnologias livres para Geoprocessamento, quer estas sejam para desenvolvimento de Sistemas de Informação Geográfica (SIG), banco de dados geográficos, webmapping, quer para quaisquer das demais e infinitas aplicações ligadas à Geoinformação.

Outros grandes sites, como o Geo.NET, já por um bom tempo tem desenvolvido a campanha “Não seja pirata! Seja livre!“, que incentiva a adoção de ferramentas livres para Geoprocessamento.

Bem, infelizmente nem todo mundo pensa assim. Muitos, quer por “comodidade” quer por desconhecimento das vantagens existentes no uso de SL para Geoprocessamento, têm recorrido à prática criminosa da pirataria!

Seria interessante recapitularmos alguns pontos importantes neste contexto.

O que é Considerado Pirataria de Software

Em termos simples e de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) a pirataria de software é:

A prática de reproduzir ilegalmente um programa de computador, sem a autorização expressa do titular da obra e, consequentemente, sem a devida licença de uso

Note que isto se aplica quer isso seja realizado por uma organização quer por um indivíduo independente!

Punição por Pirataria de Software

Por exemplo, você sabia que ainda segundo a ABES, a punição para quem é flagrado utilizando software sem licença de uso é bem severa, podendo chegar a até 2 anos de prisão e multa de até 3.000 vezes o valor do programa pirateado? Detalhe: No caso de reprodução do programa para comercio a pena é ainda maior.

Pense só, a punição pela utilização ilegal de um programa que custa R$ 500,00 (quinhentos reais) poderia implicar no pagamento de R$ 1.500.000 (um milhão e meio de reais)!!!

Para mais detalhes sobre as punições cabíveis, consulte o site oficial da ABES e/ou acesse na íntegra a Lei 9.609/98.

Mais Desvantagens da Pirataria de Softwares

Entre as demais desvantagens do uso de programas pirateados citamos o risco de prejuízos incalculáveis por conta da presença de vírus no computador e consequente perda de arquivo e a total ausência de qualquer tipo de suporte.

Além disso, programas desta natureza não raro apresentam bugs (falhas no código-fonte) graves e que podem comprometer em muito a qualidade dos trabalhos desenvolvidos.

Lembre-se: A violação de direitos autorais de programas de computador (ou de qualquer coisa) é algo sério. Temos que valorizar o trabalho de outros profissionais! Afinal, eles têm este direito!

Alguém talvez questione: Mas quais são as alternativas  existentes? Vejamos.

Vantagens da Adoção de Softwares Livres

O que é um SL? Basicamente, é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado, alterado e redistribuído sem nenhuma restrição. NÃO é o mesmo que software de uso livre ou gratuito.

Open Source

Para que um software seja considerado livre, ele deve atender às seguintes quatro condições ou liberdades, estipuladas pelo Free Software Foundation (FSF):

  1. A liberdade de executar o programa para qualquer propósito.
  2. A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lo para as suas necessidades.
  3. A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo.
  4. A liberdade de aperfeiçoar o programa e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie.

Note que para atender aos requisitos da segunda e quarta liberdades é necessário que se tenha acesso ao código fonte do programa.

Diferente do que muitas pessoas pensam, as vantagens da utilização de tecnologias livres vão muito, mas muito além da economia com a não compra de caras licenças de programas proprietários. Que vantagens são estas?

Uma outra grande vantagem do SL é a agilidade com que os bugs são corrigidos. Vale lembrar que problemas de código podem aparecer não só em SL mas com qualquer programa e em qualquer plataforma (sistema operacional).

Citando um exemplo referente a plataforma Linux, quando um bug é relatado, este é rapidamente corrigido, simplesmente porque há uma imensa comunidade envolvida e compromissada no processo de correção desse erro e somente encerrarão o processo quando comprovarem que a falha já foi efetivamente solucionada.

Em pleno contraste com o citado no parágrafo acima, certos problemas com programas da  “poderosa” Microsoft pode demorar até longos meses para ser solucionados! Pense nos transtornos que isso pode gerar tanto a nível organizacional (empresas) como usuários).

Para obter informações sobre ainda outras vantagens dos softwares livres, indico a leitura do excelente artigo disponível neste link.

Geoprocessamento com Software livre

Na segunda parte da série veremos que alternativas há para substituição de softwares proprietários por programas computacionais livres, com destaque para os empregados no Geoprocessamento.

Por hora, você pode acessar uma apresentação de slides sobre Geoprocessamento com software livre clicando aqui.

Deixe sua opinião sobre este tema nos comentários. Qual sua visão sobre este assunto?

@ClickGeoCurta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

9 Comentários


  1. Olá Anderson,

    Sou fã de SL, e me orgulho de não ter nada pirata em meu computador. O problema é quando precisamos dialogar com nossos pares, e pelo menos no meu caso, os colegas profissionais têm verdadeiro asco a tudo o que se refere a SL.

    Abraços,

    Leandro

    Responder


  2. Gostei muito da matéria .faço Gestão em Ti e iniciamos uma discussão sobre qualidade e inovação VS pirataria.
    Parabéns!

    Responder

  3. Muito pertinente este tema.

    Num país como o Brasil, onde os baixos índices de desenvolvimento em algumas áreas refletem a ausência de políticas públicas eficazes de desenvolvimento, a adoção de ferramentas capazes de promover tal desenvolvimento quase com a total ausência de recursos públicos, como o uso de ferramentas GIS livres, é um fator fundamental.

    A prática do uso indiscrimando de programas piratas só mantém o fosso sócio-econômico e ambiental em tais regiões, pois apesar do seu uso num primeiro momento, este não promove o conhecimento a posteriore.

    Sem falar no fato de que auxilia também na cultura nacional do “jeitinho brasileiro” e da corrupção na administração pública e privada.

    Responder

    1. Realmente, creio que seu comentário pelo menos passa bem perto da raíz do problema.
      Sobre sua pergunta quanto à apostila, vou te responder via e-mail.
      Um Abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *