Gerar Mapas Temáticos no uDig

Este é o segundo tutorial da série sobre o uDig. No primeiro material vimos como inicializar um projeto, ou seja, como dar os primeiros passos no programa. Agora veremos como gerar mapas temáticos na área de visualização do software. Já publiquei anteriormente como realizar este procedimento em programas como gvSIG, Kosmo e Alov Map.

A imagem abaixo mostra a visão inicial do mapa com o qual iremos trabalhar. Você pode baixá-lo no formato shapefile utilizado neste tutorial, clicando aqui.

Gerando o Mapa Temático

 Antes de mais nada, é necessário entender que para gerarmos um mapa temático utilizando-se de um software de SIG, é necessário que na tabela de atributos do arquivo vetorial exista um campo (coluna) que trate do aspecto a ser representado.

Clique no ícone “Change Style“, disponível na parte superior direita do nome do layer ou clicando com o botão direito sobre a camada, conforme destacado na imagem abaixo. Outra opção é através do menu Layer > Change Style.

Change Style

Será aberta uma nova janela. Escolha a opção “Theme“. Em seguida será necessário indicar qual atributo será tematizado.

Dependendo do tipo de dado disponível no campo a ser utilizado será definido o “Break“, que corresponde ao tipo de mapa (valores únicos, por intervalos, etc). No nosso caso é um mapa por valores únicos, pois a Paraíba está dividida em quatro mesorregiões.

Theme

Clique em uma das opção de paleta de cores (Palette). Ao fazer isso a interface da janela será um pouco alterada. Nesta janela você pode definir parâmetros como opacidade e cor das bordas de cada polígono.

Paleta de Cores

Ainda na interface apresentada acima, haverá a opção Aplicar (Apply). Escolha esta opção após concluir sua customização e em seguida clique em “Ok“.

O resultado obtido é exibido na imagem abaixo.

Mapa Temático no uDig 1.2.0

Agora é com você. Faça alterações e testes.

Claro que essa não é uma produção cartográfica final. Em uma postagem futura iremos abordar a questão de geração de mapas para impressão no uDig, com os devidos elementos (norte, legenda, escala, etc).

O que acharam dessa postagem? Deixe sua opinião nos comentários.

Curta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

8 Comentários


  1. Anderson, na tua opinião posso, portanto, me dedicar exclusivamente ao QGis?

    Responder

    1. Sívori,
      Poder se dedicar ao QGis você pode. Até por que creio que o melhor software é aquele que você melhor dominar. Particularmente tenho intensificado meus projetos no uso do gvSIG, mas nunca podemos deixar de estar atentos aos avanços dos demais programas da área. É sempre bom ter mais de um deles instalados, pois eles se complementam em muitos momentos.
      Abraço!

      Responder

  2. Bom dia Anderson.
    Estou acompanhando curiosamente seus tutoriais.
    Como sou iniciante muitas dúvidas me assombram.
    Poderia me dizer se este procedimento realizado no uDig também pode ser feito no QGis?
    Melhor ainda, onde eu deixo de usar o QGis para usar o uDig?
    São aplicativos complementares ou os dois fazem as mesmas coisas?
    Um abraço.

    Responder

    1. Sim, o QGis faz o mesmo procedimento acessando as propriedades do layer, e alterando a simbologia utilizada.
      Na minha visão, o uDig tem seus pontos fortes, mas o QGis ainda é mais completo do que ele, em especial com sua integração com o GRASS. Mas sem dúvida, o uDig é muito bom.
      Abraço!

      Responder

  3. Your blog is already included in my favorite addresses. Congratulations on your excellent publications.

    Responder

  4. Muito bom seus tutoriais. Fico no aguardo da sequência da série.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *