Mapa índice TOPODATA

Mapa índice TOPODATA

Como fazer o download de dados SRTM de maneira fácil? Existem diversas formas de baixar Modelos de Elevação (MDE) SRTM, mas sem dúvida a mais prática delas é através do Mapa Índice TOPODATA.

COMO BAIXAR DADOS SRTM – TOPODATA

Trata-se de uma aplicação online na forma de mapa interativo. Ela foi construída por Eduardo Kanegae, bastante conhecido por suas contribuições para a comunidade no campo das Geotecnologias.

Mapa índice TOPODATA

Nesta ferramenta webmapping o objetivo é facilitar o download de dados SRTM (NASA, 2000) do projeto TOPODATA (INPE, 2008) aos usuários de SIG, e estimular a aplicação destas informações em diversas áreas como florestal, agricultura e meio ambiente.

As tecnologias utilizadas no desenvolvimento do WebGIS foram: As bibliotecas GDAL/OGR, OpenLayers, OpenStreetMap, API Google Maps e o MapServer. Para acessar a aplicação, acesse:




Conforme explicado no site oficial da ferramenta, o modo de operação do mapa índice é bem simples (veja o vídeo que preparamos, abaixo ou em nosso Canal no Youtube):

Navegue e aproxime o zoom até a região de interesse e em seguida clique na quadricula desejada. Uma nova janela será aberta e através desta o usuário poderá efetuar o download dos produtos derivados da missão SRTM disponibilizados pelo projeto TOPODATA do INPE – tais como mapas de altitude e declividade.


Parabéns a toda equipe que participou no desenvolvimento desta ferramenta elaborada com tecnologia de código aberto e que será tão útil para toda a comunidade!

Confiram também as seguintes dicas relacionadas:

O que acham de deixar seus comentários sobre o tema desta postagens? Você trabalha com dados SRTM?

Assine nosso FeedAssine nosso Feed e receba nossas atualizações por e-mail. Curta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

18 Comentários


  1. No momento estou com um problema e gostaria de saber se você pode me ajudar.

    Estou cadastrando as “unidades de conservação do meu município” no CNUC (Cadastro Nacional de Unidades de Conservação) mas devido a um problema do sistema do MMA(Ministério do Meio Ambiente) ele pede que eu retire o eixo ZM. Eles me passaram como fazer no ArqGis, mas eu gostaria de saber como fazê-lo no QGis, já que eu não tenho muito conhecimento da ferramente ArqGis

    Abaixo segue na íntegra do que me foi reportado pelos técnicos do MMA:

    Analisamos o shapefile e a incompatibilidade apresentada está relacionada à informação nos eixos ZM. É possível identificar este fato abrindo a tabela de atributos do shapefile e verificando a informação no campo “Shape”. Se o valor nesse campo for “Polygon ZM” ou “Polígono ZM” o sistema emitirá o erro reportado.

    Quanto ao eixo ZM, sabemos executar o procedimento no software ARCGIS:

    Procedure

    1. Browse to ArcToolbox > Conversion Tools > To Geodatabase.

    2. Open the Feature Class to Geodatabase (multiple) tool.

    3. Add all the feature classes into the Input Feature Class parameter.

    4. Select an Output Geodatabase.

    5. Click the Environments button at the bottom of the tool dialog box.

    6. Expand the General Settings.

    7. For the parameter, Output has Z Values, change the value to Disabled.

    8. For the parameter, Output has M Values, change the value to Disabled.

    9. Click OK in the Environments dialog box.

    10. Click OK to execute the geoprocessing tool.

    Antecipadamente agradeço a atenção concedida.
    Fernando Martins de Souza
    Gestor Ambiental de Guapimirim.

    Responder

  2. Excelente trabalho destes pesquisadores que vai auxiliar a execução de muitos trabalhos.

    Responder

  3. Maravilha Anderson bom ter por perto pessoas que facilitam nossas vidas e enriquecem o saber!!Obrigado a todos!Com certeza já estou a caminho de uma busca neste site. Grato

    Responder

  4. Olá Anderson, parabéns pelo site!
    Solicito uma ajuda. Baixei uma imagem do topodata, mas não consigo obter o georreferenciamento. Trabalho com Arcgis.

    Abraço
    Leandro

    Responder

  5. Olá Anderson,

    primeiro parabéns pelo site e todo seu conteúdo, acesso com frequência para tirar algumas duvidas.

    A respeito dos dados SRTM, você saberia dizer a data em que estas imagens foram realizadas?

    Obrigado,

    Abraço,

    Guilherme

    Responder

  6. Muito útil essa noticia, ficou realmente mais fácil obter os dados do SRTM, mas tenho procurado uma forma mais prática de obter dados de altimetria e declividade apenas no traçado da malha rodoviária, ou seja, ao longo de uma linha ou área de influência, da mesma forma que existem extensões para o QGIS que retornam a altimetria em um determinado ponto com sultanado a base SRTM online.

    Como minha necessidade é focada apena na interseção com um linha, ainda é muito trabalhoso ter que baixar tudo, mosaicas e extrair por meio de relacionamento espacial.

    Obrigado Anderson pelas suas contribuições na comunidade geo, a disseminação assistida e compartilhada de informações que você tem realizado, vem ajudando muita gente a conhecer, dominar e aprimorar o conhecimento de geoprocessamento no país.

    Parabéns pela iniciativa.

    Responder

  7. Boa tarde Anderson,
    muito bom esse post, novamente me ajudou bastante.
    Tenho uma dúvida.
    Quando clico na região que desejo obter a imagem SRTM do topodata, aparece uma nova janela, com várias opções como:
    grade, declividade, altimetria, etc.
    Se eu quero gerar mapas de declividade e hipsométricos,
    quais as opções que devo baixar?
    E devo georreferenciar todas as imagens que irei utilizar?
    Desde já agradeço.
    Abraço.

    Responder



  8. Anderson, muiti bom seu post. Parabens pela noticia e tambem ao pessol que desenvolveu a ferramenta. Com certeza me sera muito util. Com a sua permissao vou replicar a noticia la no blog. Abracos.

    Responder

    1. Que bom Esdras que esta ferramenta será útil para você e muitos outros profissionais da área.
      Fique à vontade para divulgar a aplicação. Forte abraço!

      Responder

  9. pronto!!! era so o que faltava para facilitar a vida do pobre Geotecnologo aqui.. aplicativo nos meus favoritos do celular e do mozila..!! otima iniciativa.. valew pela divulgação!!

    Responder

  10. Anderson, essa ferramenta facilita ainda mais o acesso aos dados e tirou-me algumas dúvidas. Meus parabéns e obrigado a vocês, que divulgaram, e ao Kanegae por essa iniciativa.

    Responder

    1. Ficamos felizes por ter ajudado você a entender melhor o assunto e a obter os dados que precisa. Agradeço por seus comentários e espero que eles sejam cada vez mais frequentes.
      Um Abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *