Entrevista: Marcelo Ito – GeoBrainStorms

Entrevista: Marcelo Ito – GeoBrainStormsLeia agora a décima oitava entrevista (a segunda em 2014) da série onde estamos conversando com profissionais da área de Geoprocessamento que atuam em diferentes regiões do Brasil e do mundo! Eles estão relatando um pouco sobre sua própria história no mercado, comentando sua visão sobre o cenário das Geotecnologias onde vivem, e algo mais. Nosso entrevistado da vez é Marcelo Ito, um dos criadores do blog GeoBrainStorms.

Marcelo ItoMarcelo Ito é  formado em Administração de Empresas na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP, desenvolvedor de Sistemas de Geoprocessamento no Ministério Público do Estado de Goiás nas linguagens Java, Action Script e Java Script. É um dos mantenedores do blog GeoBrainStorms.

1. Há quanto tempo você trabalha com Geotecnologias e como foi seu primeiro contato com esta área tão empolgante?

Quando eu era criança gostava muito de desenhar mapas para os trabalhos de geografia. Eram mapas feito a mão, de todos os tamanhos e cores. Os mapas sempre foram uma atração para mim seja nos livros, revistas etc. A vida encaminha tudo na nossa profissão porque depois fiz um curso de Programação Cobol numa época em que os programas ainda eram feitos em papéis quadriculados verdes. Formei em Administração de Empresas e, finalmente, um dia essas três áreas se encontraram na minha profissão.

Trabalho com Geotecnologias desde 2008 quando tive a chance de conhecer os servidores de mapas ArcGIS Server e o i3Geo e, cada descoberta, cada shapefile integrado em um serviço web me fascinava e parecia tudo mágico. Cada informação trazida do Geodatabase ou de uma base de dados relacional em um balão de informação era algo fantástico para mim.

Entrevista: Marcelo Ito – GeoBrainStorms

No serviço público a quantidade de informações são gigantescas e a complexidade de uma aplicação leva-nos buscar soluções em diversas tecnologias, sejam elas comerciais ou livres, para atender às demandas da área com uma solução eficiente. Isso faz com que muitos aplicativos, frameworks e plugins sejam testados e desenvolvidos.

2. Você fez algum curso na área de Geoprocessamento? (Pode também citar onde, e se possível algumas características do curso)

O meu primeiro curso na área de Geoprocessamento foi de ArcGIS Desktop na Imagem em Brasília. Esse curso foi muito importante para mim porque pude entender melhor os shapefiles, topografias, coordenadas geográficas, georreferenciamento, enfim, algumas partes da área de Geoprocessamento que complementaram o meu entendimento nessa área.

Agradeço aos estagiários e ex-estagiários de Geoprocessamento, Geografia entre outros, alguns hoje mestres ou mestrandos, que me ajudaram e ajudam muito nessa área.

3. Qual sua opinião sobre o cenário atual das Geotecnologias no Estado onde você atua? Considera que há boas perspectivas para os profissionais?

O estado de Goiás assim como os outros estados brasileiros estão muito desenvolvidos na área de Geoprocessamento e as perspectivas são muito boas para os profissionais da área.

04. E pela sua experiência e pelo que você observa de forma geral no Brasil, qual sua opinião sobre as oportunidades/condições do mercado para profissionais?

As oportunidades/condições do mercado para os profissionais atuais e futuros são grandes porque a área de Geoprocessamento está desenvolvendo muito, e entrando em outras áreas de atuação assim como a Informática assimilou um pouco da área de Administração e vice versa.

O Geoprocessamento está presente em diversas áreas como Meio Ambiente, Geografia, Geologia, Estatística e está expandindo para muitas outras, por exemplo: fizemos um exemplo de um aplicativo para controle de patrimônio onde o objetivo era controlar todos os objetos presentes nos departamentos. Esse aplicativo recebia dados de um serviço do ArcGIS Server cujo shapefile possuía uma planta baixa com todos os andares do prédio e todos os departamentos georreferenciados. O aplicativo buscava qualquer departamento em qualquer andar do prédio com todas as informações dos objetos em um balão de informação.

O resultado disso é que essas informações poderiam ser úteis para a administração, patrimônio, segurança, engenharia, compras, informática e no setor privado poderia ser muito útil para imobiliárias, empresas de segurança, construtoras etc.

5. O que você acha que seja fundamental para que um profissional consiga um bom espaço no mercado de trabalho no campo da Geoinformação?

Além de uma boa vida acadêmica e muito trabalho, eu acho fundamental visualizar o grande leque que está abrindo para a área de Geoprocessamento porque a necessidade de serviços de Geoinformação está expandindo para várias áreas, conforme disse anteriormente. Atualmente ainda há uma certa resistência para o uso da Geotecnologia, talvez por falta de divulgação e de informações ou por falta de conhecimento dos serviços que ela pode oferecer para outras áreas, mas acredito que isso será superado em breve por causa do potencial da área e da necessidade do mercado.

6. Com quais softwares dos vários segmentos do Geoprocessamento você tem trabalhado, desde o início de sua carreira até hoje (comerciais e livres)?

Comecei a trabalhar e ainda trabalho com o ArcGIS Server, o ArcGIS Desktop e o Flex Builder para desenvolver os serviços de mapas e são excelentes softwares para desenvolvimento de aplicativos de Geoprocessamento. Depois descobri o i3Geo e o Quantum GIS   dois excelentes softwares livres que melhoram a cada versão.

Entrevista: Marcelo Ito – GeoBrainStorms

Em seguida desenvolvi aplicativos web usando a API do Google Maps com web services e outros como o SVG (Scalable Vector Maps) e mapas baseados em CSS – Cascading Style Sheets, os 3 são ótimos para desenvolver sendo que os dois últimos são para mapas vetoriais com JQuery. Atualmente estou descobrindo as diversas funções do GeoServer e do Open Layers para desenvolvimento de aplicações.

7. O que diria sobre a potencialidade do uso de softwares livres de Geoprocessamento em ambientes de produção para os diversos ramos de atividade que fazem uso das Geotecnologias?

O i3geo tem um campo de aplicação imenso para a área de Geoinformação e melhora a cada versão além de ser um excelente software que integra diversos tipos de mapas como o Open Layers, o Google Maps e o Google Earth. Um exemplo dessa melhoria é a inserção de um shapefile que antes era através de codificação no arquivo .map e precisava de um certo conhecimento de programação. Atualmente isto é automático apenas com alguns cliques.

Apesar de não ser programador na linguagem PHP fiz uma pequena modificação como exemplo em uma janela no i3geo que já tinha uma função de reconhecer determinada área de um mapa permitindo assim a inserção de figuras, vídeos, gráficos e dados provenientes de banco de dados e também de um Data Warehouse possibilitando a criação de uma janela para Inteligência nos negócios (Business Intelligence) geográficos.

Outro poderoso software livre e um grande servidor de mapas é o GeoServer que possibilita a criação e disponibilização de diversos formatos de mapas e com um potencial de criação imenso. Tem uma interface amigável e uma excelente documentação.

Para quem precisa de um mapa vetorial simples e com informações uma solução prática é o plugin em JavaScript SQVMap baseado no SVG. O QGIS, o Spring e o gvSIG são as ferramentas de criação na área de geoprocessamento que não podem faltar em qualquer empresa ou órgão de Geotecnologia.

8. Comente um pouco de como as Geotecnologias estão diretamente envolvidas com seu trabalho atual.

Trabalho no laboratório de Geoprocessamento e as Geotecnologias estão diretamente envolvidas no meu trabalho para atender às demandas da área. Procuro então conhecer as várias soluções livres e comerciais da área para aumentar o meu conhecimento visando facilitar a criação de aplicativos.

9. Você gostaria de fazer algum comentário adicional sobre o tema de nossa entrevista?

Gostaria de parabenizá-lo Anderson pela sua iniciativa de compartilhar conhecimentos de Geotecnologias e também agradecer você e todos seus leitores pela participação nesta entrevista. Torço para que a área de Geoprocessamento possa ser integrada a outras o mais rápido para que o profissional atual e futuro da área tenha uma diversidade de opções de atuação.

____________________________________________________

Queremos agradecer ao Marcelo por nos conceder esta entrevista que certamente agregou valor ao conteúdo de nosso site, em especial nesta série de entrevistas.

Leia alguns dos artigos publicados por Marcelo Ito no blog GeoBrainStorms:

O que vocês acharam desta postagem? Já conheciam o trabalho desenvolvido por esta relevante profissional da área de Geotecnologias? Deixem seus comentários.

Assine nosso FeedAssine nosso Feed e receba nossas atualizações por e-mail. Curta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

12 Comentários


  1. Estou bem graças a Deus Anderson.
    Obrigado! Casar é bom demais, mais uma etapa da vida concretizada.
    Agora pretendo ainda arrumar tempo para voltar a escrever.
    Quando visitar Goiânia faça um esforço para conhecer o Marcelo pessoalmente, é muito bom trabalhar com ele e trocar informações.
    Abraços.

    Responder

  2. Grande Marcelo Ito,
    parabéns pela entrevista. Aprendi muito com você, meus primeiros passos com o software I3Geo foi através de seus ensinamentos. Continue sendo esta pessoa admirável (Na vida profissional e como ser humano).
    Grande Abraço.
    Anderson Medeiros, como sempre seu site está espetacular, obrigado pela atenção com o pessoal aqui de Goiás. Fique com Deus. Abraços

    Responder

    1. Olá Amarildo, como vai?
      Primeiramente, mais uma vez, parabéns pelo casamento! rsrs
      O Marcelo é um profissional notável realmente.
      Forte abraço e fique com Deus também.

      Responder

  3. O reconhecimento persegue a competência.

    O Marcelo Ito (Sr. Analista GIS, como costumo o chamar) é um exemplo de dedicação e competência.

    Além do trabalho de excelência o Sr. Analista GIS se dedica também à produção e compartilhamento do conhecimento adquirido.

    Grande Marcelo, não fico surpreso em ver seu nome sendo mencionado.

    Parabéns pelo trabalho.

    Responder

  4. Ito, parabéns!!! Fico muito orgulhosa por ser sua amiga e aprender com você a cada dia um pouco mais. O bom de tudo é que você compartilha a sua sabedoria além da bondade, paciência e competência. Obrigada por me ajudar tanto!

    Responder

  5. O Marcelo é um cara incrível. Sempre disposto a ajudar e com um jeito super tranquilo ele é capaz de empolgar qualquer um com o entusiasmo dele pelas geotecnologias. Excelente entrevista!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *