Conheça Melhor o INPE

Esta é uma sequência da série de matérias que apresentam aos leitores deste site as principais instituições públicas brasileiras que trabalham com Geotecnologias.

Na primeira matéria falamos um pouco sobre a FUNCATE. Hoje a ideia é conhecer um pouco melhor o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS

O site oficial pode ser acessado clicando aqui.

o INPE mantém instalações em diversos pontos do Brasil, desenvolvendo pesquisa nas áreas de Ciências Espaciais e Atmosféricas, Engenharia e Tecnologia Espacial, Observação da Terra por satélites, Meteorologia e Mudanças Ambientais Globais.

Ele sempre se destacou como sendo uma das principais instituições de pesquisa do Brasil, tanto que, segundo uma recente pesquisa, é a instituição científica brasileira mais acessada na internet. No vídeo institucional abaixo você pode ter uma visão geral do que é e sobre o que realiza o INPE.

Em 2011 o INPE está comemorando seus primeiros 50 anos, meio século de contribuição sólida para a ciência e tecnologia. Veja mais detalhes sobre este marco na história da instituição neste link.

No campo específico do Geoprocessamento [Veja o vídeo a partir dos 4:45 min] ele é o responsável pelo desenvolvimento de ferramentas como os softwares Spring e os derivados da biblioteca TerraLib. Além disso, se você fizer uma busca no site do INPE pela palavra Geoprocessamento notará que há dezenas de resultados, todos relevantes.

O diretor geral do INPE, Gilberto Câmara, concedeu uma rica entrevista para a Revista FOSSGIS Brasil. Faça o download e leia a matéria nas páginas 24 até 26 da edição n° 1.

Então pessoal, o que vocês acharam dessa segunda parte da série? Já conheciam o INPE? Deixem seus comentários, sugestões e demais observações.

@ClickGeoCurta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

4 Comments on “Conheça Melhor o INPE”

  1. ola eu gostei muito
    bjkooooo ABRAÇOS !!!!!

  2. Olá Anderson, tudo bem?
    Tenho uma sugestão:
    Coloca aí no teu blog, se for possível, alguma fonte que fale sobre topologia de redes geográficas.
    Mais especificamente sobre as ferramentas do Grass.

    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *