Conheça Melhor o INPE

Esta é uma sequência da série de matérias que apresentam aos leitores deste site as principais instituições públicas brasileiras que trabalham com Geotecnologias.

Na primeira matéria falamos um pouco sobre a FUNCATE. Hoje a ideia é conhecer um pouco melhor o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS

O site oficial pode ser acessado clicando aqui.

o INPE mantém instalações em diversos pontos do Brasil, desenvolvendo pesquisa nas áreas de Ciências Espaciais e Atmosféricas, Engenharia e Tecnologia Espacial, Observação da Terra por satélites, Meteorologia e Mudanças Ambientais Globais.

Ele sempre se destacou como sendo uma das principais instituições de pesquisa do Brasil, tanto que, segundo uma recente pesquisa, é a instituição científica brasileira mais acessada na internet. No vídeo institucional abaixo você pode ter uma visão geral do que é e sobre o que realiza o INPE.

Em 2011 o INPE está comemorando seus primeiros 50 anos, meio século de contribuição sólida para a ciência e tecnologia. Veja mais detalhes sobre este marco na história da instituição neste link.

No campo específico do Geoprocessamento [Veja o vídeo a partir dos 4:45 min] ele é o responsável pelo desenvolvimento de ferramentas como os softwares Spring e os derivados da biblioteca TerraLib. Além disso, se você fizer uma busca no site do INPE pela palavra Geoprocessamento notará que há dezenas de resultados, todos relevantes.

O diretor geral do INPE, Gilberto Câmara, concedeu uma rica entrevista para a Revista FOSSGIS Brasil. Faça o download e leia a matéria nas páginas 24 até 26 da edição n° 1.

Então pessoal, o que vocês acharam dessa segunda parte da série? Já conheciam o INPE? Deixem seus comentários, sugestões e demais observações.

@ClickGeoCurta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

Sobre Anderson Medeiros 987 Artigos
Em 2017 foi reconhecido como o Profissional do Ano no Brasil no setor de Geotecnologias. Graduado em Geoprocessamento, trabalha com Geotecnologias desde 2005. Já ministrou dezenas de cursos de Geoprocessamento com Softwares Livres em diversas cidades, além de outros treinamentos na modalidade EaD. Desde 2008 publica conteúdo sobre Geoinformação e suas tecnologias como QGIS, PostGIS, gvSIG, i3Geo, entre outras.

4 Comentário

  1. ola eu gostei muito
    bjkooooo ABRAÇOS !!!!!

  2. Olá Anderson, tudo bem?
    Tenho uma sugestão:
    Coloca aí no teu blog, se for possível, alguma fonte que fale sobre topologia de redes geográficas.
    Mais especificamente sobre as ferramentas do Grass.

    Abraço.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*